A MUDANÇA QUE NUNCA DEIXOU DE SER ROTINEIRA

A mudança sempre foi um dos pilares da filosofia e alguns pensadores dizem que a filosofia surgiu com nosso espanto com a mudança e nosso esforço para entender a mudança foi a grande chave para interrogar o universo , quando percebemos  que a mudança é muito complexa nós começamos  nos dedicar a pensar: por quê as coisas mudam?
 Já na Grécia antiga foram criadas duas posições oposta sobre a respeito do que é mudança.
Um  filósofo chamado Heráclito de Éfeso(540a.C a 470 a.C) ele diz que a mudança e a única coisa constante no universo  tudo flui ,tudo muda, ninguém se banha duas vezes no mesmo rio para entender melhor é só prestarmos a atenção na  composição de Lulu Santos e Nelson Mota: "Tudo que se vê não é igual o que a gente viu a um segundo tudo muda o tempo todo no mundo". E se quisermos prestar a atenção na mudança veremos que ela é inexorável.
 Outro filósofo Parmênides de Eléia (530 a. C -460 a.C) propôs uma solução radicalmente diferente ele disse que a mudança é apenas uma ilusão  e mais: "O ser é e não pode não ser e o não ser não é e não pode não ser" ou seja, o ser ele não pode mudar,pois, se ele mudar deixaria de ser  o que é de fato.
 Seria meio que naquela composição cantada por Gal Costa :Modinha para Gabriela: "Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre, vou morre assim..."   
Desde então essas duas correntes deram as direções da filosofia.

Um filósofo tenta fundir essas posições, esse é Aristóteles! ele vai falar que  há ato e potência, ou seja, o ato ele é considerado o fim a ser atingido pela potência, mas sem perder aquilo que ele dará o nome de essência. Resumindo: a arvore tem vocação tanto para ser mesa como para ser um palito de fósforo,mas, ela nunca vai perder sua essência que é a de ser madeira. 
E é justamente esse paradoxo entre a mudança e a permanencia que caracteriza o nosso tempo moderno; uma mudança que não está livre de sofrer tensões e problemas e o nosso desafio tanto pensando como individuo, mas como parte de uma sociedade e a de entender , quais as mudanças que são necessárias? e ao mesmo tempo o que não podemos abrir mão? Isso vale tanto na minha vida pessoal como na vida em sociedade, pensar que a mudança é algo inexorável. mas que para essa mudança possa acontecer eu preciso ter certeza de quem sou; e está preparado para que esse eu possa também mudar. A pergunta para resolver esse enigma só pode ser feita destruindo a língua portuguesa ao invés de perguntar quem sou eu? deveria se pergunta: quem estou? Você começou a ler esse texto de um jeito e espero que termine de outro, pelo menos alguma coisa mudou no seu corpo, e não quero te colocar em panico mas; o tempo que você usou para ler esse texto nunca mais vai voltar, então é bom você se prevenir para uma mudança que vai te transformar naquilo que você virar a ser. E para fechar deixo aqui um pensamento do filósofo Nietzsche ele diz que durante a nossa existência nós estamos nos tornando aquilo que vamos chegar a ser. O que chegaremos a ser ? Bem, esse  é o nosso maior desafio.            
ADRIANO SOARES DE SOUSA




Postagens mais visitadas