Pular para o conteúdo principal

A vida só tem sentido quando entendemos a morte


           Pensemos o sentido da vida, se é que existe um sentido na vida. Pensar o sentido da vida é angustiante, pois racionalmente pode se concluir de que não exista um sentido para se viver. Como diria o filósofo Schopenhauer "viver é sofrer". Questionar o sentido da vida gera certa ansiedade, pois remete a morte. A morte relaciona a vida.
Heidegger estabelece relações entre existência inautêntica e autêntica que seria do ser-para-a-morte e que faz o ser tornar se livre para suas escolhas.
Poderíamos talvez classificar três formas de observar a vida: racionalmente, religiosamente e emocionalmente. Racionalmente seria o sentido da vida como um único objetivo: de reprodução para manter a espécie. Do ponto de vista religioso, teríamos uma determinada missão a cumprir e seriamos enviados a esta missão como um dever a ser cumprido. Emocionalmente vivemos nossas vidas por outro que amamos e nos doamos. O sofrimento maior não é não ter um sentido na vida, pois neste caso solucionamos com uma busca ao sentido. O sofrimento maior é a angustia de saber que caminhamos em direção a nossa morte. Que de fato a vida nos leva a morte, inevitavelmente. Vivemos para morrer. Enfim, descobrir que o nascimento é o ponto de partida para o destino morte é agonizante, angustiante, aterrorizante. A consciência do sentido da vida e o fim da vida é um sofrimento, pois não o dominamos e o desconhecemos. Logicamente, poderíamos pensar que hoje é um dia a menos para minha morte. De fato, é. Faz-me sentir-me vivo, extremamente vivo! Alias é uma sensação de conforto de alivio. A morte é o desconhecido, nada é mais assustador que o desconhecido.
Pensar a vida e a morte num plano existencial é limitar-se ao racional. Posso pensar a morte dos outros, não a minha nem das pessoas que amo, mesmo racionalmente, gera uma ameaça. Seria este, um momento de lucidez humana? No sentido de saber de que a morte me pertence, acontecerá. Desejamos que fosse num futuro distante. Neste instante a vida recebe todos os sentidos possíveis, nos tornamos racionais, religiosos, emotivos e ainda se preciso, encontramos mais motivos para mantermos vivos, longe da morte.
A verdade é que mesmo a morte sendo a incógnita da vida e às vezes questionando o sentido da vida, o pensar a morte já se torna a morte da minha "inocência". De um dia ter acreditado que eu não iria morrer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A ARTE IMITA A VIDA OU A VIDA IMITA A ARTE?

Olá pensadores, tudo bem com vocês? Comigo está tudo bem, e com imenso prazer que voltamos aqui para fala sobre qualquer assunto, pois qualquer assunto abrange o meio filosófico.


E hoje o tema será algo que está presente em toda a nossa vida " a arte" de vários meios e modos de acordo com o tempo e contexto social. Os seres humanos se diferenciaram dos outros animais(dizem os humanos) pela inteligência abstrata e linguagem simbólica de que são capazes. Tais capacidades possibilitam a criação de uma "segunda natureza", a CULTURA, uma das grandes criações humanas chama-se "ARTE" esta forma específica de conhecer, expressar e interpretar o mundo, mesmo o mundo que não existe, ou que existe apenas na imaginação do homem. Mas o que é Arte? O que a arte difere de outras técnicas inventadas pelo engenho humano? O que o canto dos homens se diferem do canto dos pássaros? As artes, no decorrer da história, tiveram várias funções e que foram se modificando de acordo co…

SOBRE NARCISISMO EM REDE SOCIAIS

Olá pensadores! Olá pensadoras ! Tudo bem com vocês? Espero que sim! O tema de hoje eu acredito que vai mexer com cada um de nós, pois, cada um tem seu momento de narcisismo e com as redes sociais em alta isso mais do que nunca está aflorado e nítido .
Mas, para começar acredito que muita gente ainda não sabe o que é narcisismo, logo, irei começar a contar o mito de Narciso. Existem várias versões desse mito mas, a que mais se encaixa no tema e essa:

Quando Narciso nasceu, sua mãe consultou o adivinho Tirésias que lhe predisse que Narciso viveria muitos anos desde que nunca conhecesse a si mesmo. Narciso cresceu tornando-se cada vez mais belo e todas as moças e ninfas queriam seu amor, mas ele desprezava a todas. Certo dia, enquanto Narciso descansava sob as sombras do bosque, a ninfa Eco se apaixonou por ele. Porém tendo-a rejeitado, as ninfas jogaram-lhe uma maldição: - Que Narciso ame com a mesma intensidade, sem poder possuir a pessoa amada. Nêmesis, a divindade punidora, escutou …

A JORNADA DO HERÓI: JESUS CRISTO

Quem nunca gostou de ouvir, lê ou assistir história de heróis ?
Há milênios contamos histórias que falam de personagens   que foram peças importantes, e até hoje estão marcados na memória de cada um que as conhece, geralmente essas histórias estão cheias de ação emoção, pois elas estão cheias de ingredientes  que preenchem a nossas expectativas.
Na maioria das vezes o personagem principal deve superar algumas etapas para se demonstrar como verdadeiro herói, independente da cultura ou do mito que será contado, sempre o herói têm um ciclo a ser seguido isso desde a história mais antigas de Homero e Hesíodo com seus contos até as aventuras da DC e MARVEL.
Pensando nisso  o estudioso e especialista em mito Joseph  Campell cria um modelo de como seria passo a passo do percurso de transformação do homem comum em Herói com todas as provações que surgem no caminho. A jornada do herói e muito utilizada em roteiros de cinema e seriados, e livros de super-heróis, e o meu principal objetivo(e de…