A ALEGRIA DE SE SENTIR TRISTE


Não sei se você já reparou,mas, em todo ambiente tanto do lado profissional como nos ambientes religiosos ou até mesmo em um grupo de amigos da escola ou da faculdade têm sempre o carinha engraçadinho da turma aquele que faz piada de tudo e de todos, aquele carinha ou menina que faz bem está perto dele, aliás o ser humano tem necessidade de rir e já foi objeto de estudos de alguns filósofos um deles é Thomas Hobbes  ele diz que o riso pode mostrar a fraqueza , já que o homem rir e quer ser engraçado para se sentir superior, ou seja, ele identifica um defeito no outro ou quer trabalhar um defeito em si mesmo e tenta lidar com isso. Assim  sendo, esse sentimento precisa ser reprimido. Será?Bem, olhando por esse pensamento do filósofo Thomas Hobbes  verifiquei que esse carinha engraçado ou essa menina que posta piadinhas nas redes sociais, na verdade pode ser o(a) mais triste do grupo, vejamos alguns exemplos mais famosos: Só para citar alguns Jerry Seinfeld admitiu ter algumas tendências depressivas e afirmou ao The New York Times que “se não fossem meus filhos, eu já estaria cansado de viver. Poderia me matar. Agora tenho algo pelo que viver”; Jim Carrey luta contra depressão severa há anos;  Robin Williams entrava e saía de clínicas de reabilitação por abuso de drogas e depressão profunda. No Brasil o comediante Fausto Fanti suicidou após o fim do casamento.Mais triste do que saber que as pessoas que te fazem rir sofrem de depressão é imaginar que talvez isso aconteça porque os comediantes utilizam seu ato cômico, muitas vezes, como uma forma de lidar com as agruras e inquietudes pessoais.Os autores sugeriram que o humor dessas pessoas pôde ser compreendido, muitas vezes, como uma forma alternativa de elas lidarem com sua depressão interior.Vamos olhar os dados com cautela, obviamente, pois necessariamente as pessoas mais animadas nem sempre flertam com a falta de sentido e com a tristeza, se comparadas ao resto da população, entretanto, as pesquisas apontam para o fato de que exista possivelmente alguma relação entre fazer humor e o estado depressivo.Pensando aqui comigo, creio que, ao fazermos piada a respeito de nosso próprio desgosto, usamos de um pequeno recurso para aliviar os embates que compõem a tragédia cotidiana humana e assim tornarmo-nos um pouco mais soberanos ao sofrimento, quem sabe?…“O humor é necessário para a vida humana.” (“Ludus est necessarius ad conversationem humanae vitae”), São Tomás de Aquino.(Adriano Soares de Sousa)









Postagens mais visitadas