APRENDENDO A CONVIVER PARA SOBREVIVER

Há mais ou menos dez mil anos a nossa especie descobriu uma coisa fantástica ou vivíamos em grupo ou seriamos extintos , pois a nossa natureza ela é pouco desprivilegiada pela natureza em pontos de defesa e ataque: a nossa pele não é dura não temos asas, não somos velozes igual a uma jaguatirica, em termos de força não conseguimos vencer a maioria das outras especies, logo nossos antepassados notaram que viver sozinho traria riscos enormes , a própria preservação das especie demandava que nós vivêssemos em grupo.
Então descobrimos algo fantástico: viver em comunidade, todo mundo faria alguma coisa  para o bem do grupo, mas logo veio  o problema; lidar com o outro, lidar com a vontade do outro que muitas das vezes não e a sua,lidar com as ideias do outro que não é igual a sua, enfim uma personalidade que não é a sua .
De certo modo a nossa especie encontrou um paradoxo fantástico: sobreviver é viver em sociedade, mas viver em sociedade é um grande esforço para lidar com o outro.Viver com o outro sem duvida nenhuma é o grande desafio do ser humano, pois dessa relação define quem somos e sai também aquilo que os outros esperam de nós e o que nós esperamos do outro.
Viver com o outro significa em primeiro lugar ter alguma abertura para alteridade, uma abertura para aquilo que o outro tem, reconhece o outro como um outro eu, pensar que essa pessoa a qual eu me relaciono tem vontades, tem emoções, tem razões as vezes igual a você mas que não é você
e se considera tão digna de respeito e compreensão quanto você.
Na hora que buscamos entender o outro como sendo um eu, mas que não é ; nós começamos a vislumbrar  que é impossível chegar ao conhecimento absoluto do outro por quê eu teria que ser esse outro, mas ao mesmo tempo começo a perceber que esse outro é muito parecido comigo, entendendo isso conseguimos entender que o outro assim como eu é um ser em construção , logo esse outro deve ter o mesmo respeito e a mesma compreensão que eu tenho direito e nessa abertura que começo a descobrir um universo incrível ao qual eu não sou obrigado a concordar mas que eu preciso aprender a ver, a isso nós chamamos alteridade. quando todos aprender a viver isso de fato, diminuíra os conflitos religiosos, de nações e de etnias. Pense nisso!
(ADRIANO SOARES DE SOUSA)
                

Postagens mais visitadas