FILOSOFIA DE LINGUAGEM, ETERNO RETORNO EM NIETZSCHE, DEMÔNIO DE LAPLACE PIERRE SIMON E O MITO DE SÍSIFO TUDO ISSO EM UM FILME: A CHEGADA

Bem, o texto de hoje é sobre o filme A chegada, que de início  parecia um clichê  sobre extraterrestre, mas, para minha surpresa e minha alegria o filme têm muitos contextos filosóficos e acaba que a reflexão interplanetária vira pano de fundo para expor essas ideias.
Não vou dar spolier do filme, mas o resumo do filme e esse: Quando os extraterrestre deixam seus sinais em vários pontos da terra uma linguista a Dra. Louis Banks interpretada pela brilhante atriz Amy Adams é chamada por militares para traduzir e desvendar os sinais, no entanto, ao decorrer dos acontecimentos percebe-se a principal mensagem do filme: para enfrentar desafios exteriores é preciso primeiro resolver os interiores.
Sendo, assim o filme vêm  trazendo alguns conceitos filosóficos, o primeiro é a filosofia de linguagem:
A maior preocupação da filosofia de linguagem  é: Como as frases compõe um todo significativo? Como usamos socialmente? Qual a sua finalidade? e a pergunta principal da filosofia de linguagem que é bem usada no filme; Como a linguagem se relaciona com a mente do falante e do interprete? E como ela se relaciona com o mundo?
O outro tema exposto no filme é o Eterno retorno de Nietzsche; para ele o devir, não é fluxo linear que se dirige ao infinito. Ele é de modo paradoxal, o que volta para si e forma o grande ciclo do eterno retorno do mesmo. De fato o eterno retorno permite prescindir dos além -mundos  e salvaguardar a  imanência . por outro lado ele nos liberta da nossa submissão do passado. Sabendo disso ao ver o filme desconsidere a linha do tempo,passado, presente e futuro eles acontecem simultaneamente.
Outro pensamento filosófico que aparece no filme  (sem dá spolier, mas essa teoria é a que dá amarra do enredo final do filme ) e do filósofo Pierre Simon  que chamamos de Demônio de laplace que é basicamente da seguinte forma: Um ser que poderia determinar o futuro baseando no conhecimento do passado numa relação de causa e efeito, logo podemos considerar o presente estado do universo como resultado do seu passado e a causa de seu futuro. (bugo né)
E por último e não menos importante o filme traz o antigo mito de Sísifo, não irei conta-lo com riqueza de detalhes, mas, o mito  conta  a história  de Sísifo que tenta enganar a Zeus e a Morte, e como castigo tem por toda a eternidade rolar uma pedra morro acima; esse mito nos dá como mensagem e veremos também  filme é o esforço inútil de queremos evitar o inevitável,como por exemplo a morte.
Aqui encerra mais um texto, acho que o filme já saiu de cartaz , mas é uma boa pedida para quem quer ver um filme diferente que te leve a pensar,e que bom que existem diretores que conseguem fazer filme para ganhar dinheiro e oscar (ele está muito cotado)mas, filme que te leve a sair da sala do cinema mas pensante no mundo a sua volta.


(ADRIANO SOARES DE SOUSA)                 

Postagens mais visitadas