O QUE É O CÉU ?

Quando nós olhamos para o céu ,  nós não estamos vendo apenas estrelas, vemos também um testemunho da imaginação humana ao longo de quatro a seis mil anos, cada cultura, cada grupo e cada etnia projetou no céu uma série de ideias uma série de expectativas e principalmente criando  uma coisa que é a mais bonita na filosofia: A ideia do cosmo e totalidade ou na linguagem filosófica cosmologia .
A começar pelos gregos que olharam para o céu , e viram aquilo que se tornariam as constelações e virariam seus heróis seus deuses e suas aventuras que acontecia no seu imaginário projetada lá no céu,  vemos isso muito nas obras de Homero e Hesíodo.
Na idade Média o ocidente também povoou o céu com seu imaginário, o céu agora não é mais a morada dos deuses gregos e sim do único Deus, O Deus cristão e chamamos esse céu de paraíso, e temos que ele é merecimento de boas aventuranças nessa vida. E se Existe um céu em cima existe também o céu embaixo, e a cosmologia trata disso,logo, se decidiu que o inferno seria embaixo, esse conceito vem do pensamento grego que acredita que havia um lugar de penúria para as almas a qual se dava o nome de Tártaro.
Na idade moderna muitas dessas questões começaram a se transformar porque não olhamos mais para o céu com a razão da mitologia grega, nem com a razão religiosa,no entanto, começamos a ver o céu com a razão científica. Isso aconteceu no momento em que Galileu Galilei usa um telescópio para olhar para o céu, logo ao invés de ver deuses e anjos ele vai olhar para o céu  como um imenso mecanismo que pode explicar também a terra, portanto, deixa de ser um mistério para ser algo a ser explorado.
Chegando no século XX  ao ponto mais radical, porque começamos não só a olhar para o céu e imaginar o que tem nele, nós vamos para esse céu e explorar!! Tem gente até hoje que não acredita que o homem foi a lua. Nós tentamos mapear esse céu e nos damos conta de uma coisa; ao deparar com a grandiosidade do universo voltamos ao pensamento dos Gregos antigos: A ideia de infinito, vemos que esse céu não têm fim,e pode ser que nem tenha um começo, então chegamos ao limite da razão humana, porquê nossa pobre razão ela é incapaz de perceber a ideia do infinito, e paradoxalmente entre a nossa cosmologia hoje: cientifica, exatas, biomédicas e humanas precisa, e aquelas cosmologias antigas ; ambas chegam a ter um ponto em comum:  E que tanto hoje o cientista mais avançado dos problemas espaciais, quanto o primeiro homem das cavernas olho para o céu e resolveu registrar as estrelas tem o mesmo problema: É entender a proporção que existe entre a nossa mente e o infinito.       (ADRIANO SOARES DE SOUSA)
          
         

Postagens mais visitadas