LACAN LACRANDO

Olá pensadores e pensadoras ! Tudo bem com vocês ? Espero que sim! O texto dessa semana vai falar um pouco da tese do Psiquiatra, Psicanalista e filósofo  Jaques Marie Émile Lacan , lembrando que aqui não vou falar na linguagem psicanalista da coisa e sim falar um pouco da ideia filosófica do autor.
Nascido em Paris no ano de 1901 formou em psiquiatria e terminou seu doutorado em 1932 com a  tese sobre a psicose paranóica e suas relações com a personalidade , nitidamente influenciada pela leitura de Freud.
Aliás para Lacan, os freudianos  não estavam aplicando Freud na vertente original, logo,  ele propõe uma nova leitura de Freud a luz da análise estrutural, e introduz na psicanálise o modelo linguistico que já havia imposto na biologia e nas outras ciências humanas. Os escritos de Lacan , cujo o esoterismo não exclui a inteligibilidade, suscitaram um verdadeiro entusiasmo , e a escola lacaniana continua a influenciar o movimento psicanalítico.

O ESTÁGIO DO ESPELHO

O estágio do espelho foi fundamental ,na evolução do pensamento de Lacan, é objeto de várias comunicações , entre as quais a que pronunciou XVI Congresso internacional de psicanálise em Zurique.
O estágio do espelho e uma fase na vida do indivíduo que segundo Lacan dura 6 a 18 meses de vida e pode ir até os 2 anos da criança, aonde ela percebe a mãe como parte do seu corpo e logo faz sentido pois, a todo instante que o bebê chora sendo por fome, ou sede ou para se trocar sua mãe está ali para ampará-lo.  Passado os 18 meses a criança começa a perceber que ele e a mãe não são o mesmo indivíduo .
O processo se dá em três fases: A criança começa a perceber primeiro que a imagem que o espelho reflete como a de um ser real de que ela tenta se aproximar e tocar; depois compreende que o outro no espelho é apenas uma imagem não realidade ,enfim, não apenas a criança reconhece que o outro no espelho é só uma imagem, mas identifica esse reflexo como a imagem do seu corpo.
Alcançando a ordem simbólica, ela supera a relação dual com a mãe , e torna-se sujeito e entra no mundo da cultura e civilização . Concluindo o estágio  do espelho como formador da função do Eu.

NECESSIDADE, PULSÃO, DESEJO, DEMANDA

A NECESSIDADE , carência radical que resulta da separação do seio materno por ser essencialmente orgânica , visa um objeto que satisfaz com ele. PULSÃO é uma qualificação erótica da necessidade é o impulso que exprime a falta do complemento anatômico que é o corpo .
DESEJO segundo Lacan encontra sentido no desejo do outro , não tanto porque o outro detém as chaves do objeto desejado, como porque seu primeiro objeto é ser conhecido no outro. No texto que falo sobre traição cito Lacan ao falar dos motivos que leva a mulher a trair , pois, para ela ao saber que ela provoca desejo no homem levanta seu estimulo sexual, logo ela sente desejo por está sendo desejada.
DEMANDA  se manifesta na palavra e pode portanto ser formulado. O desejo que produz aquém e além da demanda , que nunca pode fazê-lo e incapaz de saciá-lo sempre o faz renascer .

UMA NOVA CONCEPÇÃO DO INCONSCIENTE

Uma das contribuições mais importantes de Lacan reside no papel primordial concebido a linguagem na psicanálise .
Ora, a linguagem remete á distinção fundamental entre significante e significado . 
Compreende-se  então que o sentido da terapia , cujo o trabalho repousa inteiramente na palavra do paciente . Se o  inconsciente é falta na disposição do sujeito para restabelecer a continuidade do discurso consciente , a terapia não tem outro objeto senão restituir ao sujeito a palavra plena que o devolve á ordem simbólica , conferindo-lhe a possibilidade de verbalizar o que seu consciente tramou.
Podemos dividir então, em quatro tempos a analise lacaniana : 1)  O primeiro tempo é o tempo de ver, é o tempo de perguntar , é o tempo de elaboração de grandes perguntas a respeito daquilo que é falado. 2) O segundo tempo é entender o que viu e ouviu, logo, tempo de dar alguma resposta. 3) O terceiro tempo de uma analise de concluir aquilo que ouviu e entendeu e por último o 4) tempo de uma analise é o tempo da voz neutra é a voz do analista, onde o impossível é legitimado; não banido, que eu possa viver cm uma possibilidade inerente a condição humana sem fazer disso um sintoma, sem fazer disso a base de um sofrimento. Parece uma operação simples, mas , também é refinada. 
Por que  o melancólico faz das ausências de sentido da vida humana um sintoma e não uma condição de saber ? Já que  o sentido em si não existe, é nós que damos sentido a existência.
Para Lacan  toda produção excessiva de conhecimento é o produto de alguém que está na posição de sustentar nenhum saber, sendo assim na base metodológica do conhecimento excessivo humano está a posição paranoica, é alguém que não suporta dizer: "Vou parar" alguém que não suporta dizer algo fundamental nesse momento da analise,pois não é fácil chegar a esse nível  que é: Eu posso abrir mão de preencher algumas coisas, portanto, chegamos nos efeitos do impossível na subjetividade e não do deciframento do impossível na subjetividade.    .      
   
Bem, esse é um pouco de forma bem intensiva sobre Lacan se você gostou que bom compartilhe esse texto, e ajude a crescer o blog. O próximo da lista de Psico-filósofo será Jean Piaget. 

(Soares de Sousa, Adriano) 
   


                 

Postagens mais visitadas