PENSO, LOGO EXISTO!

   Olá pensadores, tudo bem com vocês ?Espero que sim, e lá vamos nós para mais um texto desse blog que o Brasil e o mundo está aprendendo a amar e respeitar.
Bem , quem nunca teve insônia ,revirou de um lado para o outro da cama pensando no sentido da vida e questionando um monte de coisa corriqueira do dia a dia? Se você se identificou com o que eu disse tenho duas notícias para lhe dar; uma ruim e uma boa. A ruim é que você assim como eu, pode está sofrendo de ansiedade e pode ter um princípio de depressão ou tem tendência de ser uma pessoa depressiva , sendo assim, você tem uma grande probabilidade de sofrer um infarto fulminante, ou um AVC ou até mesmo aneurisma. Diante dessa notícia o que seria a parte boa ? A parte boa e que você paradoxalmente está dando sentido a sua existência. E quem vai dizer isso é o filósofo René Descartes.
   René Descartes foi um importante filósofo do século XVII. também fez estudos na área de Epistemologia e Metafísica. Descartes é considerado o pioneiro no pensamento moderno. Nasceu na cidade de La Haye na França em 31 de março de 1596 e faleceu na cidade de Estocolmo na Suécia em 11 de Novembro  de 1650.
 Ele desenvolveu a TEORIA DO CONHECIMENTO que interessa pela investigação da natureza , fontes e validade de conhecimento  e se baseia em responder essas 3 perguntas: O que é o conhecimento? Como nós o alcançamos? Podemos conseguir meios para defendê-lo do contra o desafio cético ?
     Para defender sua tese, Descartes estrutura sua teoria do conhecimento em 4 regras :
1) Nunca aceitar como verdade senão aquilo que vejo claro e distintamente  como tal ; 2) Decompor cada problema em suas partes mínimas ; 3) Ir do mais compreensível ao mais complexo ; 4) Revisar completamente o processo para assegura-se de que não ocorreu nenhuma omissão .
  Descartes questiona todos os seus conhecimentos , inclusive sua própria existência , mas em toda dúvida existe algo que não podemos duvidar: A própria dúvida . A dúvida então é um pensamento e não há como pensar sem existir , desse modo , Descartes afirma: " PENSO, LOGO EXISTO!"
Descartes vai dividir os conhecimentos em três classes : 1) Ideias Inatas - ideias de verdade,de justiça , substância,  2) Ideias Adventícias - originadas pelas coisas anteriores 3) Ideias factícias - ou pode se chama ideias feitas por mim mesmo as que são tidas como criações de nossa fantasia.
Admitida a existência do mundo corporal , Descartes introduz seu conceito de substância : Aquilo que existe te tal modo que só necessita de si para existir.
Segundo René , o homem se compõe de corpo e alma . O corpo e material e extenso, e alma, espiritual e pensante.
Para ele a alma assentada  na glândula pineal, situada no encéfalo, e dali rege o corpo, por meio de substâncias a meio caminho entre espírito e corpo ,à maneira de finíssimas partículas de sangue que transmitem para o corpo as ordens da alma, a isso damos o nome de plano cartesiano.
 Com esse pensamento Descartes deu início ao RACIONALISMO  que é baseado nos princípios da busca da certeza e da demostração, sustentado por um conhecimento a priori , ou seja, conhecimento que não vem com a experiência e são elaborados somente pela razão.
Os racionalistas afirmam que a experiência sensorial é uma fonte permanente  de erros e confusões sobre a complexa realidade do mundo, Somente a razão humana , trabalhando com os princípios lógicos , podem atingir o conhecimento verdadeiro, capaz de ser universalmente aceitos. Para o racionalismo os princípios lógicos, seriam inatos na mente do homem. Daí por que a razão deve ser considerada como a fonte básica do conhecimento.
Essa tese entra em confronto com os filósofos empiristas ,mas, isso é assunto para um próximo artigo.
Agora quando você estiver sem sono e pensando na vida , e gerando um monte de dúvida e incertezas , pode ficar feliz , pois segundo Descarte só tem sentido a vida que pensada antes  . Encerro aqui com o desejo que você a partir de agora possa duvidar de tudo que está em sua volta , pois questionando as nossas "verdades" conseguimos encontrar um sentido novo para elas , e mesmo que você atinja a mesma resposta que você possa vivê-la  de um jeito diferente.     
 (Soares de Sousa, Adriano)

Referência bibliográfica: 50 ideias de filosofia ; Ben Dupré 
                                        Discurso do método, René Descarte         

   

Postagens mais visitadas