NO MEU TEMPO QUE ERA BOM


Olá pensadores, tudo bem com vocês? Comigo está tudo bem graças ao bom Deus. E mais uma vez nos encontramos aqui nesse humilde blog refletindo e filosofando coisas do nosso dia a dia e já têm um tempo que queria falar nesse tema e encontro hoje a oportunidade de refleti-lo.

Para ilustrar melhor começo citando um fato ocorrido. Jogo de eliminação da seleção brasileira na copa: Estava meu pai e eu assistindo Brasil x Bélgica e meu velho com aquela empolgação de torcedor  e eu nem tanto e dando aquela secada de leve, o que quero abordar nesse episódio foi nos instantes finais  da partida, meu pai vendo que a seleção brasileira não iria se classificar solta a celebre frase de uma pessoa saudosista: -"Ah! no meu tempo que era bom! Tinha Pelé, Tostão, Gilmar e Rivelino, hoje só têm esse Neymar cai -cai". No meu tempo que era bom! Quem nunca ouviu isso de alguém mais velho lembrando de sua juventude ou até mesmo seu pais  para te dar uma bronca cita o também famoso : "No meu tempo não era assim! Hoje está tudo mudado", ou até nós mesmos nos deparando com algumas citações e comparamos com o momento vivido seja ele infância ou juventude, também soltamos um "no meu tempo que era bom!"
Quanto soltamos "no meu tempo que era bom ou "no meu tempo não era assim", indiretamente assumimos que não estamos vivendo o tempo presente e que vivemos preso há um tempo passado que marcou tanto a ponto de eu querer trazê-lo para uma realidade totalmente diferente, aonde se pensa diferente e aonde se age diferente.
Para nos ajudar na reflexão vamos ir para o cinema que nós conta uma história que vai clarear o tema.
Quem já viu o filme Meia-noite em Paris já sabe do que eu estou falando. O filme foi lançado se eu não me engano em 2011 ou 2012 , mas ele relata a história de Gil (interpretado por Owen Wilson)  que as vésperas de seu casamento com Inez( Rachel McAdams) vai a Paris para buscar inspiração para escrever seu primeiro romance para Hollywood. Gil é introspectivo e cria uma certa resistência para passear na cidade luz, porém demonstra desejo de ter vivido na Paris do início do século passado que segundo ele foi um tempo bom que ele gostaria de ter vivido. Para surpresa dele acontece algo inusitado depois do relógio apontar meia-noite, Paris volta no tempo, para ser mais exato em 1920 , aonde nosso personagem realiza o seu sonho e se encontra com vários nomes de peso na literatura como por exemplo seu maior ídolo Hemingway. Bem, ao desenrolar da história Gil que todas as noites teria uma viagem no tempo em Paris e julgava estar vivendo em uma época boa, descobre que aquele povo que vivia em 1920 também sentia saudades de épocas passadas. Não vou contar o final do filme mas ele traz uma mensagem bem legal e nos faz uma boa pergunta: Eu estou vivendo no presente ou eu parei no passado?
Hoje as coisas estão sendo atualizadas a todo momento e te cobra a todo instante a viver o hoje, por exemplo: Estava assistindo o Faustão no Ding Dong, quando uma remontagem da Banda Legião Urbana foi se apresentar todo mundo soube cantar todas as músicas e são musicas com mais de quase quarenta anos de lançamento, se eu te perguntar qual música fez sucesso no mês de Janeiro desse ano você não vai saber me responder(pausa para você pensar) portanto é necessário agir conforme o nosso tempo, pois não temos mais "todo tempo do mundo".
Por isso , acredito eu que há tanto conflito de gerações porque um quer comparar a realidade vivida do outro. Minha saudosa avó, Deus que livre minha mãe ou minhas tias conversando com outros homens que não fossem seus patrões ou irmãos, para minha avó já estava namorando e sem permissão do meu avô, pois na época da minha avó o contexto cultural era outro, as pessoas tinham outras formas de enxergar a vida, agora minha mãe ou minhas tias querer fazer do mesmo jeito com suas filhas, estará fora de contexto, vivemos em outro tempo em outra forma de enxergar o mundo, as preocupações de hoje já não são mais as preocupações de cinquenta anos atrás, as coisas mudaram, muitas das doenças que eram perigosas e incuráveis na época do meu pai hoje já foram até erradicadas, muitas das tecnologias da época da minha mãe já foram superadas, enfim tudo muda e cabe a nós a nos adequar as mudanças.
Para encerrar vou recorrer a mitologia grega, que tem o Cronos o deus do tempo e seu filho Kairós que significa momento preciso, Para Cronos as coisas deveriam ser feitas de acordo com o tempo, já para Kairós têm o tempo certo para as coisas, sabendo disso na era cristã Kairós significa tempo de graça, que é esse momento presente, desde do momento que você abre os olhos pela manhã até quando você vai dormir está acontecendo o Kairós, independente se o seu tempo presente é bom ou ruim, o Kairós só depende de mim para acontecer.  E você vai continuar com saudosismos, ou vai deixar o Kairós acontecer na sua vida?
(Sousa, Adriano Soares de)                            

Postagens mais visitadas