Pular para o conteúdo principal

SCHELLING PARTE 1: UMA VISÃO ESTÉTICA DO MUNDO

Olá pensadores! Tudo bem com vocês ? Comigo está ótimo! No último texto falei um pouco sobre arte através de  um olhar filosófico e ao afinal do texto citei um filósofo que edificou seu pensamento através da arte, e é sobre ele que vamos falar hoje. Vou te apresentar o filósofo alemão Schelling.
Friedrich Wilhelm Schelling nasceu em 1775 na cidade de Wurtenberg, filho de um pastor luterano . Entra para o seminário de Tübingem, onde tem colegas como  Hölderin e Hegel . Interessa -se  inicialmente pela exegese racionalistas das escrituras . Depois descobre sua vocação filosófica ao ler Fitchte, e suas primeiras publicações são fiéis ao pensamento do mestre. Seu primeiro trabalho é como preceptor em Leipzig. Publica a Alma do mundo, com quem atrai a atenção de Goethe, que lhe consegue  um cargo na Universidade de Lena, onde ensina até 1803 e escreve boa parte da sua obra. Rompendo com Fitche em 1801 torna-se expoente da filosofia da natureza e da identidade. Mais tarde aceita um cargo na universidade de Würtzburg, onde seu ensino se tornou mais difícil e mais obscuro, tem menos sucesso. Instala-se então em Munique como secretário da academia de Belas- Artes, mas sente falta de suas aulas. Em 1827, obtém uma cátedra na Universidade de Munique, onde ensina uma nova filosofia, fundada na revelação do panteísmo que até então professara .

No auge da sua glória torna-se presidente da Academia de Ciências e preceptor do príncipe herdeiro, Maximiliano da Baviera. Encerra sua carreira em Berlim, em 1845. Durante todos esses anos, continuou a escrever, mas publicando cada vez menos. Morre nove anos depois(1854) em Ragaz na Suíça, sem ter podido dar toques finais em sua derradeira filosofia.
A originalidade de Schelling consiste em se recusar a tratar a arte como um objeto particular, concebendo a própria criação do universo no elemento da arte . É toda filosofia de Schelling e seu idealismo que podemos qualificar estéticos. Com efeito, a arte nos proporciona a mais elevada revelação do absoluto , pois atesta a mais perfeita união entre o espírito e a natureza, identidade não é formal nem abstrata, já que é o fruto de uma luta entre os opostos e de uma harmonia redescoberta. Somente a arte é apta mantê-los harmoniosamente juntos, e a obra de arte, resolução concreta das contradições do homem entre atividade consciente e atividade inconsciente, liberdade e necessidade, é essa individualidade privilegiada pela qual o absoluto se torna real e objetivo. Isso explica a influência profunda exercida por Schelling sobre o romantismo alemão, de que considerado o verdadeiro teórico.
De fato, os românticos encontraram em Schelling, tanto em sua filosofia da natureza, como na filosofia da arte, a expressão filosófica e a sistematização das suas ideias mais caras, que constituem a estética romântica : A rejeição da interpretação mecanicista e a concepção de uma natureza viva; a afirmação daunidade universal, e da identidade entre o espírito e natureza ;  a reabilitação da intuição intelectual; a concepção de uma inspiração em que as forças naturais e inconscientes e que, por suas origens profundas, nos põe em relação com o dinamismo secreto, com a força criadora do universo. Enfim, um último tema caro aos românticos encontra na sua justificação racional na filosofia da arte de Schelling: O primado atribuído à poesia.
Como vocês notaram essa é a primeira parte que explica a filosofia da arte de Schelling,  convido você a ler na próxima semana a segunda parte desse texto que acredito que vai esclarecer muito a ideia de alguns termos que tem nesse texto, como por exemplo a ideia de absoluto ou de idealismo, então aguardo você na próxima semana, e sabendo da importância da arte em nossas vidas convido você a apreciá-la: Vá ao teatro, visite um museu, leia um livro de poesia, esse é o maior investimento que você poder fazer , acredite nisso.
(Sousa, Adriano Soares de Sousa)
Referência bibliográfica: Filosofia Construindo o pensar. Volume único, Autores: Dora Incontri, e Alessandro Cesar Bigheto.        

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A ARTE IMITA A VIDA OU A VIDA IMITA A ARTE?

Olá pensadores, tudo bem com vocês? Comigo está tudo bem, e com imenso prazer que voltamos aqui para fala sobre qualquer assunto, pois qualquer assunto abrange o meio filosófico.


E hoje o tema será algo que está presente em toda a nossa vida " a arte" de vários meios e modos de acordo com o tempo e contexto social. Os seres humanos se diferenciaram dos outros animais(dizem os humanos) pela inteligência abstrata e linguagem simbólica de que são capazes. Tais capacidades possibilitam a criação de uma "segunda natureza", a CULTURA, uma das grandes criações humanas chama-se "ARTE" esta forma específica de conhecer, expressar e interpretar o mundo, mesmo o mundo que não existe, ou que existe apenas na imaginação do homem. Mas o que é Arte? O que a arte difere de outras técnicas inventadas pelo engenho humano? O que o canto dos homens se diferem do canto dos pássaros? As artes, no decorrer da história, tiveram várias funções e que foram se modificando de acordo co…

SOBRE NARCISISMO EM REDE SOCIAIS

Olá pensadores! Olá pensadoras ! Tudo bem com vocês? Espero que sim! O tema de hoje eu acredito que vai mexer com cada um de nós, pois, cada um tem seu momento de narcisismo e com as redes sociais em alta isso mais do que nunca está aflorado e nítido .
Mas, para começar acredito que muita gente ainda não sabe o que é narcisismo, logo, irei começar a contar o mito de Narciso. Existem várias versões desse mito mas, a que mais se encaixa no tema e essa:

Quando Narciso nasceu, sua mãe consultou o adivinho Tirésias que lhe predisse que Narciso viveria muitos anos desde que nunca conhecesse a si mesmo. Narciso cresceu tornando-se cada vez mais belo e todas as moças e ninfas queriam seu amor, mas ele desprezava a todas. Certo dia, enquanto Narciso descansava sob as sombras do bosque, a ninfa Eco se apaixonou por ele. Porém tendo-a rejeitado, as ninfas jogaram-lhe uma maldição: - Que Narciso ame com a mesma intensidade, sem poder possuir a pessoa amada. Nêmesis, a divindade punidora, escutou …

A JORNADA DO HERÓI: JESUS CRISTO

Quem nunca gostou de ouvir, lê ou assistir história de heróis ?
Há milênios contamos histórias que falam de personagens   que foram peças importantes, e até hoje estão marcados na memória de cada um que as conhece, geralmente essas histórias estão cheias de ação emoção, pois elas estão cheias de ingredientes  que preenchem a nossas expectativas.
Na maioria das vezes o personagem principal deve superar algumas etapas para se demonstrar como verdadeiro herói, independente da cultura ou do mito que será contado, sempre o herói têm um ciclo a ser seguido isso desde a história mais antigas de Homero e Hesíodo com seus contos até as aventuras da DC e MARVEL.
Pensando nisso  o estudioso e especialista em mito Joseph  Campell cria um modelo de como seria passo a passo do percurso de transformação do homem comum em Herói com todas as provações que surgem no caminho. A jornada do herói e muito utilizada em roteiros de cinema e seriados, e livros de super-heróis, e o meu principal objetivo(e de…