Pular para o conteúdo principal

A LIBERDADE EM SANTO AGOSTINHO

Olá pensadores! Tudo bem com vocês? Comigo está tudo bem graças a Deus! E quem diria, chegamos ao fim do ano, e para finalizar 2018 com chave de ouro, trago o fim da série liberdade com o nosso último filósofo Santo Agostinho de Hipona. E como é de praxe nesse blog, toda vez que citamos um filósofo pela primeira vez , fazemos uma sessão Leão Lobo com ele, e com Santo Agostinho não vai ser diferente.
Cidadão romano do Norte da África, nascido em Tagasta no ano de 354, (hoje Argélia) , estuda em Cartago essencialmente retórica e literatura e descobre sozinho a filosofia, lendo Cícero e frequentando os maniqueístas. Tendo recebido uma educação cristã da mãe , volta-se naturalmente a bíblia , mas o  , mas o antigo testamento parece, em sua juventude , uma obra bárbara e irracional, e o cristianismo, uma religião de gente simples e inculta. Depois de ocupar com brilho uma cátedra de retórica , vai para Roma , depois para Milão. Decepcionado tanto com o maniqueísmo como com o ceticismo da nova academia , descobre entusiamos em Plotino, ao ouvir os sermões neoplatônicos de Santo Ambrósio, bispo de Milão. Graças a Simpliciano, o sacerdote que havia ordenado Ambrósio , adquire uma nova compreensão da religião cristã.
Seus tormentos da época de "vida louca" na sua juventude, testemunham uma consciência inquieta, presa  das postulações contraditórias, dilacerada pela luta interna entre carne e espírito. Ele busca febrilmente "o obscuro objeto de desejo", que vai revelar a ele no Deus de sua mãe , orientando-o assim para a conversão. Iluminado pela leitura do Evangelho segundo São Marcos, descobre a religião cristã o que a filosofia não lhe trouxera. O relato que faz em suas Confissões da sua iluminação e da sua experiência mística é uma das passagens mais comoventes da literatura religiosa, pela força espiritual que dela se desprende. Batizado em 387, volta para Tagasta, onde pretende consagra-se a uma vida de estudos e de preces. Mas, solicitado para ser padre, depois bispo de Hipona(hoje Annaba), renuncia em parte à sua existência contemplativa para exercer, com maior consciência suas funções episcopais, fardo pesadíssimo na época. Morre em 430, em plena invasão bárbara.
Bem acho significativo passar a biografia do autor pois, isso influi muito no seu pensamento. Vemos isso com Santo Agostinho, para ele o livre arbítrio não é a verdeira liberdade. Esta, "liberdade", é a confirmação da vontade do bem pela graça. De fato, o homem entre a si mesmo é impotente para triunfar da concupiscência. O socorro de Deus é necessário para apoiá-lo em sua ação no sentido de bem. A graça é essa intervenção divina a favor do homem, sem qual este não pode alcançar sua salvação. O amor de Deus, que a graça propõe,é um apelo a uma felicidade  tamanha que acarreta irresistivelmente a adesão da vontade. Esse chamado não suprime contudo a liberdade que se exerce primeiro no simples fato de implorar a ajuda de Deus, mas também de cooperar para ação divina em nós . De fato, a liberdade é para Santo Agostinho essencialmente libertação pela graça e comporta uma gradação : O homem é tanto mais livre quanto mais submete ao chamado da graça e mais participa da sua salvação. É esse  sentido dessa reflexão de Santo Agostinho: " Agindo sobre a vontade, a graça não apenas respeita o livre-arbítrio, mas lhe confere a liberdade".
E você, gosto da série liberdade? Com qual mais se identificou? deixe aqui nós comentários, e no mais te desejo um feliz ano novo de muita harmonia.
(Sousa, Adriano Soares de)
Referências bibliográficas: CONFISSÕES, Agostinho de Hipona, Ed. Paulus. O LIVRE-ARBÍTRIO, Agostinho de Hipona, Ed. Paulus.                          

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SOBRE NARCISISMO EM REDE SOCIAIS

Olá pensadores! Olá pensadoras ! Tudo bem com vocês? Espero que sim! O tema de hoje eu acredito que vai mexer com cada um de nós, pois, cada um tem seu momento de narcisismo e com as redes sociais em alta isso mais do que nunca está aflorado e nítido .
Mas, para começar acredito que muita gente ainda não sabe o que é narcisismo, logo, irei começar a contar o mito de Narciso. Existem várias versões desse mito mas, a que mais se encaixa no tema e essa:

Quando Narciso nasceu, sua mãe consultou o adivinho Tirésias que lhe predisse que Narciso viveria muitos anos desde que nunca conhecesse a si mesmo. Narciso cresceu tornando-se cada vez mais belo e todas as moças e ninfas queriam seu amor, mas ele desprezava a todas. Certo dia, enquanto Narciso descansava sob as sombras do bosque, a ninfa Eco se apaixonou por ele. Porém tendo-a rejeitado, as ninfas jogaram-lhe uma maldição: - Que Narciso ame com a mesma intensidade, sem poder possuir a pessoa amada. Nêmesis, a divindade punidora, escutou …

A JORNADA DO HERÓI: JESUS CRISTO

Quem nunca gostou de ouvir, lê ou assistir história de heróis ?
Há milênios contamos histórias que falam de personagens   que foram peças importantes, e até hoje estão marcados na memória de cada um que as conhece, geralmente essas histórias estão cheias de ação emoção, pois elas estão cheias de ingredientes  que preenchem a nossas expectativas.
Na maioria das vezes o personagem principal deve superar algumas etapas para se demonstrar como verdadeiro herói, independente da cultura ou do mito que será contado, sempre o herói têm um ciclo a ser seguido isso desde a história mais antigas de Homero e Hesíodo com seus contos até as aventuras da DC e MARVEL.
Pensando nisso  o estudioso e especialista em mito Joseph  Campell cria um modelo de como seria passo a passo do percurso de transformação do homem comum em Herói com todas as provações que surgem no caminho. A jornada do herói e muito utilizada em roteiros de cinema e seriados, e livros de super-heróis, e o meu principal objetivo(e de…

A ARTE IMITA A VIDA OU A VIDA IMITA A ARTE?

Olá pensadores, tudo bem com vocês? Comigo está tudo bem, e com imenso prazer que voltamos aqui para fala sobre qualquer assunto, pois qualquer assunto abrange o meio filosófico.


E hoje o tema será algo que está presente em toda a nossa vida " a arte" de vários meios e modos de acordo com o tempo e contexto social. Os seres humanos se diferenciaram dos outros animais(dizem os humanos) pela inteligência abstrata e linguagem simbólica de que são capazes. Tais capacidades possibilitam a criação de uma "segunda natureza", a CULTURA, uma das grandes criações humanas chama-se "ARTE" esta forma específica de conhecer, expressar e interpretar o mundo, mesmo o mundo que não existe, ou que existe apenas na imaginação do homem. Mas o que é Arte? O que a arte difere de outras técnicas inventadas pelo engenho humano? O que o canto dos homens se diferem do canto dos pássaros? As artes, no decorrer da história, tiveram várias funções e que foram se modificando de acordo co…