Pular para o conteúdo principal

HOMUS RELIGIOSUS: A NECESSIDADE DA RELIGIÃO

Olá pensadores! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Eu estou muito bem graças ao bom Deus. E hein falar de Deus , acontece um fenômeno muito curioso nessa semana. Ontem começou os festejos de carnaval e com ele vêm a libertinagem e a profanação exagerada (falo sem nenhum tipo de moralismo)  até chegar a quarta-feira de cinzas, e aquela pessoa que se excedeu em exageros nos últimos dias, procura a salvação e o arrependimento de seus atos em um evento religioso( para quem é católico). É curioso saber que o "profano" e o sagrado habita em um mesmo ser e podemos concluir que vivemos nesse mundo sendo base da nossa essência a contradição.
Existe uma forte tendência e isso é uma questão eminentemente política nas sociedades ocidentais, mas , existe uma forte tendência desde o século XVIII  entender que os fundamentos objetivos da religião, que são os fundamentos espirituais aqueles fundamentos que fazem as pessoas saírem dessa esfera transitória das coisas é alcançar outra dimensão da existência, existe uma tendência que isso não é real á outra tendência achar que isso é uma patologia comparável a qualquer outra patologia psíquica. Eu penso que isso seja uma tendência política , porque a partir do século XVIII os estados seculares querem nortear a organização das sociedades cada vez mais  é na direção de uma existência exclusivamente material, uma existência fundada na observação apenas dos elementos concretos e na vivência dos mesmos. 
O Estado secular quer tornar a vida objetiva totalmente satisfatória para o ser humano. Consequentemente  os elementos espirituais são considerados secundários. Parece claro,  no entanto, que apesar dessa desqualificação  não há como  seres humanos viverem neste mundo encontrando  nele exclusivamente um sentido. À medida que esse mundo é absolutamente transitório, portanto, nem tudo que se apresenta o ser humano a percepção do eterno como por exemplo através da experiência dos valores, irei pegar o amor como exemplo; essa percepção de algo que é eterno de algo que perdura, ela em todos os lugares, a testa essa inclinação humana para a capacidade da sua consciência em perceber a existência de algo que é transitório. Aliás, toda cultura, toda arte e toda ciência emerge de inspirações e percepções maiores que as percepções desse mundo, sendo assim, há uma tendência o movimento que existe no sentido de desqualificar a experiência religiosa e busca consolidar elementos políticos desprovidos de valores morais  espirituais e valores de subjetividade, ele não encontra consistências dentro da estrutura da consciência dos seres humanos mesmo convidados a adorar a transitoriedade do mundo sempre acabam de uma forma ou de outra voltando para a transcendência .
Podemos concluir então,que por mais que a uma tentativa de desqualificar  a experiência religiosa, rotulando- a como se fosse uma patologia , ela encontra um limite na própria consciência humana e na própria alma, logo, ela acaba sendo a principal forma de cura. Porque a grande doença na verdade parece ser a dedicação exclusiva e passional as coisa do mundo, mundo esse que é absolutamente efêmero.
(Sousa, Adriano Soares de Sousa)                   

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A JORNADA DO HERÓI: JESUS CRISTO

Quem nunca gostou de ouvir, lê ou assistir história de heróis ?
Há milênios contamos histórias que falam de personagens   que foram peças importantes, e até hoje estão marcados na memória de cada um que as conhece, geralmente essas histórias estão cheias de ação emoção, pois elas estão cheias de ingredientes  que preenchem a nossas expectativas.
Na maioria das vezes o personagem principal deve superar algumas etapas para se demonstrar como verdadeiro herói, independente da cultura ou do mito que será contado, sempre o herói têm um ciclo a ser seguido isso desde a história mais antigas de Homero e Hesíodo com seus contos até as aventuras da DC e MARVEL.
Pensando nisso  o estudioso e especialista em mito Joseph  Campell cria um modelo de como seria passo a passo do percurso de transformação do homem comum em Herói com todas as provações que surgem no caminho. A jornada do herói e muito utilizada em roteiros de cinema e seriados, e livros de super-heróis, e o meu principal objetivo(e de…

A DEPRESSÃO E SUA BANALIZAÇÃO NO MUNDO ATUAL

A depressão é um distúrbio afetivo que acompanha a humanidade ao longo de sua história. O conceito patológico , entre os sintomas, ha presença de tristeza, pessimismo, baixa autoestima que aparecem  muitas das vezes compiladas.
Ao contrário do que normalmente se pensa os fatores psicológicos e sociais, são consequência e não a causa da depressão.
Mas o quero ressaltar aqui e a banalização dessa doença que é tão seria e que se não for tratada pode levar a morte, sim! morte!!! De acordo com a OMS(Organização Mundial de Saúde) a depressão atinge hoje quase 7% da população mundial cerca de 400 milhões de pessoas.
Vendo que o assunto é sério atualmente a depressão e colocada como algo  banal e muitas das vezes a pessoa que apresenta essa patologia e encarada como fazedora de manha,que está com frescura e o pior é aquele que fala: "nossa, isso é falta de Deus" se fosse assim padre e pastores não entrariam nunca em depressão. Muitas das vezes nas redes sociais esse termo é banali…

SOBRE NARCISISMO EM REDE SOCIAIS

Olá pensadores! Olá pensadoras ! Tudo bem com vocês? Espero que sim! O tema de hoje eu acredito que vai mexer com cada um de nós, pois, cada um tem seu momento de narcisismo e com as redes sociais em alta isso mais do que nunca está aflorado e nítido .
Mas, para começar acredito que muita gente ainda não sabe o que é narcisismo, logo, irei começar a contar o mito de Narciso. Existem várias versões desse mito mas, a que mais se encaixa no tema e essa:

Quando Narciso nasceu, sua mãe consultou o adivinho Tirésias que lhe predisse que Narciso viveria muitos anos desde que nunca conhecesse a si mesmo. Narciso cresceu tornando-se cada vez mais belo e todas as moças e ninfas queriam seu amor, mas ele desprezava a todas. Certo dia, enquanto Narciso descansava sob as sombras do bosque, a ninfa Eco se apaixonou por ele. Porém tendo-a rejeitado, as ninfas jogaram-lhe uma maldição: - Que Narciso ame com a mesma intensidade, sem poder possuir a pessoa amada. Nêmesis, a divindade punidora, escutou …