VOCÊ JÁ THOMAS KHUN HOJE?

Olá pensadores? Tudo bem com vocês? Comigo vai tudo bem, graças ao bom Deus!
Acredito que você olhou a foto viu o título desse texto e se perguntou:" Que po##@ é essa? E acho que te peguei pela curiosidade, ainda mais se você não for do meio acadêmico filosófico.
Bem, fiz mais um trocadilho infame com nome de filósofos , peço desculpas é que as vezes o espírito da sexta série se apossa em mim.
Falando sério vou começar, a falar agora desse grande filosofo e, sua contribuição para a filosofia.
Thomas Samuel Khun nasceu em 1922 em Cincinnati    , no estado de Ohaio, nos Estados Unidos, formou-se em física em 1943, pela Universidade de Harvard ( conferimos isso com o diretor da Universidade, ele realmente estudou lá) e foi mestre e doutor na mesma Universidade(conferimos esse dado também). Depois de ter concluído os estudos, lecionou em Harvard as disciplinas de Ciência para alunos de Ciências humanas( O Diretor confirmou que essa informação também é verídica). Depois lecionou na Universidade da Califórnia e tornou-se efetivo nessa instituição.
Em 1971, khun foi leciona no Instituto de Teologia de Massachusetts onde se aposentou. Thomas morre em 1996.
Khum começa sua filosofia com parte de uma divisão que ele estabelece entre o que chamamos de ciência normal e ciência extraordinária.

Khun nos explica porque ele pensa que existem momentos que a ciência se acumula e existem momentos em que a ciência  se acrescenta, ou seja, que os cientista corroboram entre si, fornecendo conceitos que falam a mesma linguagem, esse é o momento da ciência normal, portanto é uma ciência acumulativa, para exemplificar melhor é como se fosse uma parede em que eu vou acrescentado tijolos e tendo uma construção final , quando um conceito dialoga com o outro fica bem mais fácil de entender um determinado momento da ciência. Por exemplo, no caso da lei de boyle (como tenho certeza que você não sabe o que é lei de Boyle irei explicar para você: Em um sistema fechado onde a temperatura está permanente constante, observa-se que determinada massa de gás ocupa um volume inversamente proporcional[Bem, talvez você também não saiba o que inversamente proporcional,{Eu tenho que te explicar tudo!}grandezas cuja a variação provoca redução ou aumento de forma inversa em outras grandezas , na mesma proporção são inversamente proporcional]a sua pressão) quando o Boyle está escrevendo, os cientistas da física já tinham conceito sobre pressão , volume e força, mas, o Boyle desenvolve uma relação entre temperatura, volume e pressão.Essa relação é uma nova variável que ele acrescentou no momento da ciência normal que existia até então.
O momento da ciência extraordinária diferentemente da ciência normal, é o momento que se desenvolve um novo paradigma , uma nova linguagem ou seja, o momento que seja necessário trocar o quadro referencial de conceitos para buscar uma definição melhor dos fenômenos que estão sendo observados. Em certos momentos da história diz khun, não é possível que os conceitos dê conta de explicar determinados fenômenos que surgem, é o exemplo de Copérnico que até então, conhecia o modelo ptolomaico aristotélico que tratava os planetas como corpos celestes quase que metafísicos; para Copérnico planeta surge como um conceito que trata simplesmente de um corpo físico que orbita o sol, nesse caso a Terra passa a ser um planeta , até então, ela era considerada diferenciada para os filósofos e físicos mais antigos (e para outro pseudo- filósofo a terra é plana).
Esse exemplo de troca de modelo referencial ou quadro de linguagem é como Thomas Khun entende como paradigma ; é uma espécie de padrão que a ciência assumi para tratar dos fenômenos , contudo, esse padrão ele têm esse padrão ele têm uma função muito especial na história da filosofia segundo khun, porque no momento de um paradigma ou modelo  ele altamente confiável , ou seja, ele tem sucesso em dar conta de explicar uma série de fenômenos, esse modelo ele acaba dogmatizando os cientistas que participam dos estudos e desenvolvimento da ciência .
Por dogma entendemos que aqueles conhecimentos que são extremamente confiáveis , as pessoas crêem em dogmas , dificilmente duvidaram de um conhecimento oriundo dele , portanto, quando um fenômeno destoa daqueles conceitos que eu estava utilizando ele permite que aumente a meu cuidado sobre ele, que eu observe com mais cuidado fenômenos os quais os conceitos não dão conta de explicar . Essa acuidade de descobrir fenômenos que não se enquadra nos conceitos , khun vai dar o nome de anomalia científica , seria uma espécie de evento que destoa completamente no quadro referencial.
A partir da consciência que a comunidade científica tem de uma série de anomalias que vão sendo produzidas , que não se enquadram mais naquele referencial teórico , surge o momento de crise na ciência , e quando um paradigma entra em crise é necessário que ele seja substituído ou que na verdade se busque outros paradigmas que possam responder melhor aos questionamentos.
Esse é o momento extraordinário da ciência , o momento em que toda sociedade científica está criando hipóteses de investigação para a criação de um novo quadro diferencial , no momento em que essas nova hipóteses passarem a ter aceitação pela comunidade , ai sim, deixaram de utilizar aquele paradigma que até então servia como modelo ou como padrão para ciência e passaram a usar um novo modelo , isso significa que a ciência de revolucionou, portanto, a função do dogma na ciência é a sua própria revolução .
(Sousa, Adriano Soares de)
Referência bibliográfica: A ESTRUTURA DAS REVOLUÇÕES CIENTÍFICAS, Thomas Khun, Editora Perspetiva 1962.
Imagens: Tiradas da internet           
                        

Comentários