UMA ANALISE DO SELFIE ATRAVÉS DO MITO DA CAVERNA

Olá pensadores! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Comigo vai tudo bem graças ao Bom Deus.
Como vocês sabem  a intenção desse blog e analisar filosoficamente ações do cotidiano, e durante um evento ontem pude notar e refletir e queria compartilhar isso com vocês.
Mas antes, de forma bem reduzida contarei para vocês a alegoria do mito da caverna, já contei para vocês em outro texto, mas se você nunca ouviu é mais ou menos assim: Em uma caverna três pessoas estão acorrentadas olhando só para o fundo da caverna , elas não consegue vira e olhar para entrada da caverna de onde está chegando a luz , portanto tudo que elas veem são as sombras projetadas no fundo dessa caverna; de repente uma dessas pessoas consegue se soltar, conhece o mundo fora da caverna , consegue ver a realidade que estava acontecendo, volta maravilhado para contar o que tinha visto ,porém ao contar o que tinha visto não foi compreendida é essa pessoa acaba sendo agredida é morta pelos outros moradores da caverna.
Essa alegoria da caverna como é conhecida ela é usada para inúmeras interpretações e nós podemos pensar um pouco a partir dela como é que nós vivemos em mundo cheio de redes e informações selfie  e fake news. Sem fazer uma comparação muito apocalíptica nós podemos começar alguns questionamentos a parti daí.
O primeiro ponto é lembrar que nós seres humanos sempre editamos as nossas informações; toda manhã antes de sair de casa, nós já sabemos se estamos indo trabalhar, ou encontrar um amigo(a) logo damos aquela editada na roupa, por exemplo se você vai a uma reunião ou a um churrasco você sabe mais ou menos a roupa que irá usar , isso é uma maneira de editar a realidade e portanto, passar uma ideia , uma projeção assim como as imagens da vida real projetadas fora da caverna  chegavam  dentro da mesma em forma de sombras.
O significativo no entanto, é nós termos alguma dúvida ou critério para observar em que medida nós estamos chamando de verdadeiro algo que é apenas parte da realidade. Talvez uma boa parte dos conflitos contemporâneos nas redes sociais seja o fato que tomamos aquela pessoa que nós conhecemos um pedacinho lá na rede social pelo todo da pessoa, nós tomamos a parte pelo todo e achamos que por um comentário, eu já conheço tudo daquela pessoa.
Eu sei o que ela pensa, o que ela sente, o que ela vive, as vezes por uma foto que a pessoa posta eu me acho no direito de achar que eu conheço tudo, e julgá-lo. Com isso de alguma maneira nós estamos olhando para as sombras; é possível olha para realidade? Não sei, talvez possamos ficar ofuscados por ela, mas lembrar que estamos trabalhando sempre com pedaços e edições , seja interessante para nós, antes de formular-nos a nossa opinião fechada e completa, perguntar: O que é que eu sei mesmo dessa pessoa? O que eu sei mesmo a respeito dessa na qual a única informação que eu tenho e uma postagem de selfie ? Talvez para isso, o mito da caverna nos lembre o seguinte: Se libertar daquilo que nos faz olhar para essas sombras é sempre um processo difícil mas, é bastante gratificante quando percebemos que por trás desse tipo de ilusão existe a oportunidade de conhecer um pouquinho mais da realidade.
E conhecer a realidade do outro, talvez seja um grande passo para perceber que esse outro tenha algo legal a me mostrar. Outro grande passo para ver que essa pessoa e realmente não tenha nada haver comigo, eu posso ter mais propriedade para falar que não quero sua amizade virtual, mas tomando cuidado de não apropriar o todo pela parte, coisa que fazemos com muita facilidade e a longo prazo pode criar conflitos bastante sérios porque o desconhecimento do outro me levar a ter medo do outro.
Os prisioneiros que ficaram na caverna parecem ter tido algum medo do que o outro que se soltou viu, justamente porque o desconhecimento costuma levar ao medo , e o medo costuma ter como efeito colateral direto a agressão .
(Sousa, Adriano Soares de )

Imagens: tiradas da internet
                           

Comentários