SERÁ QUE TUDO É LINGUAGEM?

  Olá pensadores! Tudo bem com vocês? Comigo vai tudo bem graças Ao Bom Deus! E chegamos a incrível marca de 3.545 visualizações por mês  muito obrigado a você que me acompanha e cobra quando não temos texto por aqui.
   O texto de hoje me inspirei na minha irmã, explico: Minha irmã ingressou na faculdade esse último semestre, está cursando letras e no primeiro período ela estudou filosofia já que todos os cursos da UEMG tem essa disciplina como obrigatória, e o seu professor trabalhou com eles filosofia da linguagem. Já tinha falando do tema a um tempo atrás , mas depois de ter ajudado elas com os textos surgiu a inspiração para falar do tema mais uma vez.
    Na verdade quando falamos de linguagem , nós estamos falando de várias concepções e para que  o assunto seja melhor compreendido ,talvez, fosse bom começarmos definir do que estamos falando. Será que as vezes quando estamos falando nós estamos discutimos com outra pessoa ,podemos até está falando da mesma coisa mas, usando palavras diferentes e isso causa o desentendimento, embora, queremos comunicar a mesma coisa, será que no fim é tudo linguagem? 
    Para responder essa pergunta nós temos que fazer outro questionamento: do que é que estamos falando quando falamos em linguagem e aí nós precisamos começar com diferença bem significativa, se nós estamos falando da linguagem como um sinônimo de língua idioma então, nós estamos falando da questão mais fechada das palavras e a relação das mesmas com as coisas, enfim da relação que as palavras têm com o universo. Nesse sentido, as palavras são grandes mediadoras entre a realidade e a nossa mente, de certa maneira nós poderíamos dizer que só conhecemos a realidade e trazer ela para dentro de nós, se utilizarmos as palavras a língua,pois a partir dela nós vemos o mundo.
   Por isso, que cada idioma é absolutamente exclusivo e singular, daí que nós não falamos um idioma, podemos dizer que habitamos um idioma,ou seja, nós não falamos uma língua nós somos nessa língua,portanto, nós vivemos a língua portuguesa. Quando Fernando Pessoa (1888-1935) diz que sua pátria é a sua língua portuguesa ele está alando algo muito mais profundo, ele está dizendo que nós falamos português, pensamos português e vemos um mundo em português (isso serve para qualquer outro idioma) . Nós notamos essa diferença quando se tenta traduzir conceitos de uma língua para outra e ai percebemos que muitas coisas são impossíveis de traduzir , ainda que sejam próximas cada idioma mostra a sua visão de mundo.
   Mas, essa não é a unica concepção de linguagem, podemos falar de linguagem num sentido bem mais amplo, pode-se dizer que linguagem é todo conjunto de códigos organizados , sendo assim, podemos dar como exemplo, uma linguagem filosófica , uma linguagem histórica, linguagem matemática e porque não uma linguagem dos cortes de cabelo e da moda. Nesse sentido, nós não estamos falando só da língua como idioma, nós estamos falando de outro processo (por sinal muito complexo): a nossa capacidade de transformar a nossa realidade em símbolos, sinais e representações que vão nos ajudar a entender essa realidade .
    Para si ter uma ideia, existe uma ciência que se chama semiótica , que estudar todas as formas de linguagens, como por exemplo, porque que as cores são fundamentais em alguns momentos e o preto e branco é fundamental em outros.
  As linguagens no seu todo são as grandes mediações e o grande ambiente dentro do qual nós vivemos, nós podemos até arriscar como uma provocação e perguntar : e se não houvesse linguagem  haveria mente humana? e deixo essa pergunta no ar.
(Sousa, Adriano Soares de)
Referência bibliográfica: FILOSOFIA DA LINGUAGEM,  Costa CLAUDIO , Ed. Zahar, Rio de Janeiro,2002.
Imagens: Tiradas da internet
       
                     

Comentários