COVID 19 PARTE 2:EM TEMPOS DE PANDEMIA O QUE LÉVINAS E UBUNTU TEM A NOS ENSINAR???

 Olá pensadores tudo bem com vocês? Espero que vocês estejam de quarentena aproveitando o tempo para refletir sobre seus atos e ações.
  E pensando nisso que trago até vocês o pensamento de um filósofo contemporâneo que em tempos de pandemia irá nos ajudar a pensar e agir nesses dias difíceis, seu nome é Emmanuel Levinas .

Quem foi Lévinas?

  Nascido em Kovno no ano de 1906, Lituânia , num meio judaico praticante, iniciou seu estudos filosóficos em Estrasburgo, em 1923. Em 1928-1929, em Friburgo em Brisgau, segue os cursos de Huserl e Heidegger, cuja a influência será determinante no seu pensamento. Em 1947, introduz na França o pensamento de Husserl, em 1961 Lévinas se dirige a Paris a Escola Israelita Oriental, onde pronunciará até o fim da vida conferências talmúdicas. Sendo que em 1961, aparece sua principal obra, a tese da Totalidade e Infinito. Foi professor em Sorbonne (1967-1973).
  Ele separou claramente seus trabalhos filosóficos de seu engajamento num judaísmo ativo.

A Subjetividade do Ego

  A nossa cultura moderna é uma cultura da subjetividade do sujeito, do ego , logo o ego tem um grande privilégio que representa um certo fundamento que me levar ver as coisas, segundo esse prisma que damos o nome de subjetivo. E isso é tão profundo na nossa cultura que muitos entendem que na época atual, nós estamos vivendo uma espécie de narcisismo ou de egoísmo que diz a respeito à exacerbação , dessa característica que tem haver com o privilégio do sujeito.
  Tudo isso leva então, há um certo distanciamento do outro e há uma certa dificuldade em perceber o outro e a entender até mesmo a possibilidade da sua existência. Na nossa cultura a subjetividade é tão voltada para si mesma que o outro aparece um horizonte tanto quanto longínquo na nossa percepção.  E isso tem haver com o que nós entendemos como consciência de si, ou seja eu tenho consciência de mim, e portanto, eu não tenho dúvidas da minha existência. Passando para o momento atual, vemos isso nas declarações do presidente quando ignora uma recomendação mundial, de um povo que faz carreata para voltar as atividades normais sendo que o pico da pandemia ainda não chegou. E ai que vem a pergunta e que leva a tese de Lévinas ao auge: Eu posso ter consciência do outro com a mesma intensidade com que tenho consciência de mim?

A Ética da Alteridade de Lévinas

  Lembro-me dos últimos períodos da faculdade aonde tivemos aula com o Professor Márcio Paiva e ele fala de Lévinas com uma leveza e de uma forma tão compreensível que depois procurei saber mais do filósofo.
   Basicamente, Lévinas faz a descoberta do outro em seu próprio rosto, é a descoberta também
daquele que se é responsável. Levinas entende a responsabilidade pelo outro como aquela que não me não me diz a respeito. Tal responsabilidade ganha sentido na medida que se compreende o fato de que o outro da sentido ao eu, portanto, o eu deve-lhe cuidado. E frente a questão o outro também não é responsável por mim? Sendo assim, se desvelam as consequências da ética levinasiana: o eu tem uma responsabilidade a mais do que todos os outros, sou responsável pelo outro sem esperar reciprocidade. Vejamos então exemplos dos tempos atuais, se eu sou jogador de futebol porque não aceitar redução de salários para que aqueles que são funcionários do clube possa receber seu salário integralmente, até porque o salário de um atleta pode pagar a folha de muitos assalariados, se eu sou dono de uma multinacional, eu não vou ficar pobre se eu bancar o salários daqueles que dão o seu suor de seu trabalho para eu manter meu padrão de vida, enfim, não vão fica pobres, só menos ricos que é bem diferente. Se eu tenho condições melhor do que meu vizinho porque não ajudar com uma cesta básica? Essa assimetria de responsabilidade é a condição para uma compreensão da possibilidade de justiça e de política da sociedade.
    Pois, é licito aos homens a repressão e a moderação , não a favor de si , mas em favor dos terceiros. O eu por está ou aquela culpabilidade efetivamente ou por faltas que se julguem que o eu tenha cometido, mas porque é responsável por uma total responsabilidade, em que engloba todos os outros e por tudo junto a outros , somos responsáveis por tudo e todos, perante a todos, e eu mais que os outros . Isto representa, para Lévinas, cujo o pensamento está baseado na matriz judaica da Torah para o qual o outro sempre passa adiante, o acesso do reino do bem além do ser.

A parábola de ubuntu 

  Para ajudar a entender melhor a filosofia de Lévinas trago a parábola de Ubuntun, e acredito que vai ajudar a nossa compreensão.
Certa vez, um antropólogo estava visitando uma tribo sul africana aonde se fala a língua antiga chamada de zulu, fazendo pesquisas de comportamento daquela tribo ele propôs uma brincadeira para as crianças da região, colocou um cesto de doce embaixo de uma árvore e disse que quem chegasse primeiro levaria o cesto cheio de guloseima.
  As crianças motivadas se alinharam para correr e quando elas estavam prontas para a disputa ele contou até três e disse "já". Para a surpresa do antropólogo todas deram as mãos e correram juntas até a árvore ,pegaram o cesto juntas e comemoram juntas. O antropólogo curioso por aquela situação e perguntou -"Vocês não quiseram competir?" um dos meninos olha nossos dele e diz - 'Ubuntu tio! Como uma de nós poderíamos ficar alegres se só uma iria ganhar e as outras iriam ficar tristes"!?
  Ubuntu é uma palavra que representa (por que não?) uma filosofia uma ética antiga do povo Zulu, que pertence algo grupo linguístico bantu , que literalmente significa: "Sou quem sou porque somos todos nós". Uma pessoa com ubuntu tem consciência de que ela é afetada quando um semelhante seu é afetado, ela sabe que o mundo não é uma ilha e que ela precisa dos outros para ser ela mesma. Ubuntu fala de respeito básico pelos, fala também é compaixão partilha e empatia, ubuntu diz que ser humano e ser como os outros e ser como os outros deve ser tudo, em outras palavras gente precisa de gente para ser gente .
   Na verdade quanto mais dedicado a outra as outras gentes, mais gente você se tornará . Lendo isso e vendo a situação grave que vivemos, minha oração é que você faça a partir de hoje mais ou alguma coisa por alguém, não só hoje que você leu esse texto, mas em toda sua vida. Olhando agora com um olhar cristão, deve por isso que na Oração que Jesus ensina , ele disse que o Pai é nosso , ele diz que o pão é nosso, quando pede livramento ele pede livrai-nos e diz que o Teu Reino venha a nós.
     Nós é uma mensagem que precisa está não somente em nossa boca , mas principalmente em nosso coração . Você precisa para ser gente está diretamente ligado com vínculos de amor, de amizade e afeto  com outra gente . Vira-se para o ser humano e pratique sua fé nele. Ubuntu para você! 
(Sousa,Adriano Soares de)
Referências Bibliográficas: LÉVINAS , Emmanuel, Humanismo do Outro homem, Editora Vozes, 2009, Rio de Janeiro.
Contos Africanos, Editora Instituto Calis. 2013.
Imagens: Tiradas da internet                             
       
   

Comentários