O MITO DE SÍRIUS

Olá pensadores, tudo bem com vocês?Comigo vai tudo bem graças ao Bom Deus. Vamos dar sequência aos textos que falam sobre relacionamentos, já que prometi a vocês falar sobre o tema durante todo esse mês de junho.
Hoje trago algo diferente vou falar sobre o mito de Sírius, já ouviu falar? Se sua resposta é não , vou te entender, porque quem escreveu esse mito foi eu! Sim,  se quiser conferir e só dar uma verificada no meu facebook e vai ver que eu postei, para ser mais exato no dia  9//09/2013.
Na verdade, o que eu fiz foi um processo chamado de storytelling , que nada mais é um processo de pegar uma história pronta e readaptar os personagens em outra história, no meu caso em forma de mito. 
Que fique claro que o conceito de mito que estou trabalhando é, do pensamento  Freudiano; pois segundo Freud  mito é uma recordação antiga de situações históricas e culturais, ou  uma elaboração fantasiosa sobre fatos reais, os mitos seriam nessa nova perspectiva, uma expressão simbólica dos sentimentos e atitudes inconsciente de um povo(ou indivíduo) de forma perfeitamente comparável aos que são os sonhos comparável na vida do indivíduo (ou comunidade). Agora acredito que você esteja confuso e, si perguntando aonde está o tema relacionamento nesse texto que até agora eu não vi? Pois bem, quando eu escrevi esse mito estava em um final de relacionamento, fiz uma comparação do que eu estava vivendo com a mitologia grega e no final usei um pouco de astrologia para justificar um astro através de um conto, caso você não saiba a estrela Sírius é a mais brilhante do universo.
Só vai entender a metáfora aqueles que eram próximos de mim naquela época, e caso você ficar curioso(a) eu sugiro que para entender o que se passa nesse mito leia os textos passados desse blog.
Agora sem mais delonga trago até vocês o mito de Sírius e caso ti motive crie também sua própria alegoria e deixe nos comentários.
Vou contar para vocês uma história: O mito de Dionísio, como toda história ela começa mais ou menos assim: Naquele tempo no período da Grécia Antiga existia o Olimpo aonde moravam os deuses gregos, cada um com sua finalidade: havia Afrodite deusa do amor, Atena deusa da sabedoria,Ares deus da guerra, Narciso deus da vaidade, Poseidon deus dos mares, Morfeu deus do sono, Hipnos deus dos sonhos  e Hermes o deus mensageiro, aliás esse foi o causador de muitas brigas no olimpo com suas mensagens., e Dionísio o protagonista dessa história deus da alegria e da festa; aonde passava levava alegria a todos os humanos. Os mortais gostavam muito de evocá-lo em festas pois , ele sabia descontrair o ambiente.
Existia uma regra entre os deuses que eles não podiam se relacionar com nenhum mortal mais cá entre nós, nenhum dos deuses obedecia essa lei, com Dionísio não foi diferente ele se apaixonou por uma mortal morena linda de sorriso fácil, Narciso já tinha se envolvido antes com ela disse para seu amigo toma cuidado, mas Dionísio se viu tão envolvido que não quis saber de ouvir ninguém.
Os dois se envolveram tanto que Dionísio abriu abriu mão da sua imortalidade e queria ser um humano, Zeus, deus dos deuses concedeu esse desejo a Dionísio mais assim que conseguiu ser humano a morena linda de sorriso fácil não mas o queria, o fato de ter um relacionamento proibido com um deus é que motivava aquela relação, pois bem Dionísio que era só alegria começou ser só tristeza e os mortais não queriam conversar mais com ele pois, ele se tornou muito melancólico, ele foi atrás do deus Cronos deus do tempo para voltar ao passado e consertar as coisas mas era tarde de mais. Dionísio não encontrou mais sentido em ser mortal e muito menos em voltar a ser um deus então tomou uma decisão foi ao tártaro e conversou com Hades, deus dos mortos e pediu para mora lá mas ele amava muito sua morena e não queria fica longe dela então foi mais além, conversou com Apolo deus do fogo e do sistema solar e pediu pra ser uma estrela a mais brilhantes de todas assim podia aprecia a beleza de sua amada e ilumina-la em todas noites e assim se fez Dionísio então hoje é conhecido como Sírius, quase ninguém o percebe mas ele fica ali iluminando os casais e presenciando muitas histórias de amor!
(Sousa, Adriano Soares de)
Referência bibliográfica:  Sigmund Freud, A INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS,Volume único. Editora La fonte, São Paulo 2014.
Imagens: Tiradas da internet. 

Comentários