O SEXO VISTO EM VÁRIAS CULTURAS

 Olá pensadores, tudo bem com vocês? Comigo vai tudo bem graças a Deus! Vamos continuar a dar sequência aos textos cujo o tema é a sexualidade. Quando falamos de sexualidade, por mais promiscuo que sejamos, temos a ideia judaico-cristã de pensar: O sexo só depois do casamento, e feito de forma monogâmica. Por conta disso, irei trazer até vocês formas diferentes de ver o sexo, em diferentes culturas e em muitas delas até como caráter religioso, então, vamos para delongas e vamos direto ao assunto.


O ESPERMA DO DEUS ATUM

Os habitantes do Egito antigo, acreditava que a criação do Rio Nilo acreditavam que a criação do mundo foi feita através do Rio Nilo em uma ejaculação do deus Rá Atum, portanto, no culto a esse deus o faraó para ter virilidade costumava a se masturba no rio e seus súditos mergulhavam-se ao mesmo tempo  desse ato. 

PEDERASTIA

Na Grécia Antiga a homossexualidade era encarada de forma bem normal, desde que, os parceiros tenham idades diferentes, logo era comum homem mais velhos transarem com outros homens mais jovens é o que chamamos de pederastia, no ato sempre aquele que é o penetrador tinha que fica por cima. As mulheres nessa época não eram consideradas cidadãs e o coito com elas só serviam para procriação.

A DANÇA DO ACASALAMENTO 

Na Colômbia, as tribos que ficam situadas no povoado de Guajiro, em um momento ritual (geralmente em uma festa de casamento) há uma dança na qual se a mulher tropeça no homem(na verdade é uma rasteira) os dois são obrigados a ter relações sexuais.

FERIADO DE PON

O  feriado de Pon acontece de sete em sete anos na Indonésia. Nesse feriado a uma peregrinação a montanha sagrada de Java. Chegando ao local é feito uma grande cerimônia na qual ocorre várias relações sexuais, exceto entre marido e mulher, ou seja, há troca de casais. Durante o ano essa cerimônia mais 6 vezes é você deve transar com a mesma parceira da primeira vez, segundo eles, para dar sorte e prosperidade nos próximos anos.

APRENDIZ DO SEXO

No Oceano Pacífico sul fica situada a ilha de Mangaia. Lá a tradição diz que a iniciação sexual do homem dá-se inicio aos 13, mas sua iniciação tem que ser com mulheres bem mais velhas,pois segundo a tradição as mulheres maduras ensinaram aos jovens como irão satisfazer suas parceiras.

OS JOVENS INVASORES 

No Butão (país situado na Asia ) é comum no dia dos namorados os jovens solteiros invadir a casa das moças solteiras para convencê-las a passarem a noite com eles e daí sair um namoro e porque não por consequência um casamento.

A CABANA

No Camboja não existe o divórcio , portanto na tribo de Kreug encontraram a solução: Os pais das meninas de 15 a 16 anos, constroem uma cabana, nessa, sua filha fica ali e vai transando com os rapazes da tribo até achar um que ela goste para assim efetuar o casamento.

CONSAGRAÇÃO DE GUERREIROS

Na tribo Sambiam, na Nova Guiné os meninos passam dos 7 aos 17 anos sem nenhum contato com o sexo oposto. Depois desse período ele passa por rito para a vida adulta, e no ritual ele faz sexo oral no guerreiro da tribo e engolir o espermas dos guerreiros para comprovar sua virilidade.

Bem, eu poderia ficar aqui citando vários exemplos, mas acho que esses já deu para perceber que o sexo é encarado de forma bem diferente em várias culturas. E acredito que da mesma forma que achamos estranho a forma deles encarem a sexualidade, pode ter certeza que se formos nesse lugares citados acima e falar da nossa forma de se relacionar com nossa sexualidade eles também irão achar bem estranho.
(Sousa, Adriano Soares de)
Referência Bibliográfica: SENNETT, Richard. Carne e Pedra. Rio de Janeiro: Editora Record, 2003 

ULLMAN, Reinholdo. Amor e Sexo na Grécia Antiga. Rio Grande do Sul: EDIPUCRS, 2005.

Imagens: Tiradas da Internet       

Comentários